segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

"Call me crazy - A five film" Sobre transtornos mentais e esperança

Segunda de chuva e vontade de ficar na cama até meio dia. Sabe esses dias? Pois é, aqui na minha cidade isso se chama milagre. E foi isso que aconteceu hoje. Com o tempo assim tem coisa melhor que o famigerado Netflix? (Aliás em qualquer outro dia lol) Pois bem, naveguei algumas milhares de horas até me deparar com um filme chamado Call me crazy - A five Film, vamos primeiro a sinopse para que vocês possam entender um pouco mais sobre essa belíssima obra:



SINOPSE
O longa é composto por cinco curta-metragens dirigidos e estrelados por atores de sucesso. Cada um é nomeado de acordo com seu personagem principal: Lucy (Brittany Snow), Eddie (Mitch Rouse), Allison (Sofia Vassilieva), Grace (Sarah Hyland) e Maggie (Jennifer Hudson). Através dos cinco curtas são construídas poderosas relações sobre esperança e triunfo que ajudam a criar uma nova compreensão do que acontece quando um ente querido sofre de uma doença mental.



RESENHA
Primeiramente queria dizer o porque me interessei pelo filme e sua sinopse, eu tenho síndrome do pânico ha bastante tempo. Bastante o suficiente para ter sofrido muito com isso e ter passado muitas coisas nas quais não vou me aprofundar nesse post. Mas que me fizeram ter alguns dos mesmos medos e preocupações dos personagens do filme. Começamos acompanhando Lucy, uma estudante de Direito. Muito inteligente e bonita, Lucy poderia ter a vida que alguns chama de "ideal". O que ninguém poderia imaginar era porque uma doença como a Esquizofrenia iria escolhe-la. Quando decide parar com suas medicações, negando para si mesma que tem a condição, ela se vê em mais um surto esquizofrênico. Amarrada para fora da faculdade, Lucy volta ao hospital, conhecido popularmente como "hospício" e através de palestras, terapias e conselhos da psiquiatra a nossa mocinha começa a sua fase de aceitação. Resolve voltar aos estudos na esperança de um dia poder ajudar alguém que enfrenta os mesmos pavores. Soa clichê, mas para quem já passou por isso ou quem tem familiares que sofrem de algum transtorno mental, o filme é mais que emocionante. É mágico e inspirador. Todos os casos seguintes nos explicam de forma bem simples e mastigada alguns dos transtornos mentais mais conhecidos, como bipolaridade, depressão e transtorno de stress pós-traumático. O caso de Eddie um comediante com depressão foi o que mais me emocionou, pois o clima e o ator fazem realmente você ter uma noção do que uma pessoa com depressão vivencia. O filme é curto, mas capaz de trazer uma maravilhosa onda de esperança e de vontade de ajudar. Assim como também mostra o lado dos familiares, que sofrem quase tanto quanto a pessoa doente. Mostra como o amor pode superar as doenças, e faz com que pessoas leigas do assunto se sensibilizem mais e parem de dizer que doenças mentais não existem. Existem sim, são reais e matam tanto quanto qualquer outra doença, muito provavelmente até mais. 
Esse é um tipo de filme que todas as pessoas deveriam assistir uma vez na vida. É um filme que nos traz esperança e nos faz refletir. Se você tem um familiar ou até mesmo um amigo que passa por isso. Por favor, dê apoio, não julgue e não brigue. A culpa não é dela! Não foi ela que escolheu isso.





Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Ainda não conhecia o filme, achei muito curioso e irei arrumar um tempinho para assistir, é sempre bom ver filmes que nos acrescente algo, como você mesma disse todos deveriam assistir.
    Adorei seu blog, primeira vez que visito e gostei muito, já estou seguindo.
    Um abraço!
    bloglovecherry.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Garanto que cê não vai se arrepender! Também sigo seu blog, somos duas apaixonadas por teatro hausdjasi <3
      Beijinhos~

      Excluir